quinta-feira, 11 de outubro de 2007



Sou capaz de enfrentar a mais adversa das descidas,
Encarar o mais alto dos saltos em situações perdidas,
Sou apto a pisar os limites do físico e delimitá-los, de novo…
Mas sou incapaz de falar quando os nossos olhos se cruzam no povo…
Há muito que partiste… deixei de ter notícias… perdi-te!

Sinto-me crucificado numa estrutura que eu criei,
Pregado/trespassado por cavilhas que forjei…
Este mundo em que vivo começa a perder o sentido,
A vida que criei, passa agora o limiar do desconhecido…
Onde pára a saída de emergência? Estou perdido.
Afonso Sade

8 comentários:

joaninha disse...

"Estou perdido."

.
.
.



*beijinhos*

@n@bel@ disse...

Mas estás perdido??? É virares à esquerda e seguir em frente :)

hobbes disse...

la la
e vai ele comentar sobre as cores claras no meu blog
também não gosto de dali
tenho dito

Pequenina disse...

Olha alguém desorientado*

Afonso Sade disse...

E nem imaginas qto...

;)

Afonso Sade disse...

hobbes: São gostos... e esses não se discutem!

;)

lacqua disse...

eu posso emprestar-t a minha bússula!!! ;)
já q deixei a orientação...podes ficar c ela!!
:*

Afonso Sade disse...

A bússula de nada serve qdo não se sabe o que é o Norte!

;)