quinta-feira, 10 de julho de 2008

Recordações

Quem me conhece sabe que sou assim meio... aéreo, esqueço-me das coisas, sou capaz de marcar compromissos para o mesmo dia, para a mesma hora e em lugares distintos...

Mas isso não me aborrece, o que deixa aborrecido é escrever como um desalmado e "arrumar" as coisas assim "a um canto". Já fui lido por quem não devia, já fui mal interpretado, por não perceberem que muitas vezes não sou eu que escrevo, já dei com apontamentos de teorias absurdas e relatos grotescos à mão de semear numa casa pejada de gente... e por pouco que não fui questionado pelo uso de tais palavras. Acontece.

Muitos não percebem a censura que faço ao que escrevo, mas é assim que sou e vou continuar a ser, principalmente depois de hoje.

Hoje peguei num bloco de folhas antigo, perdido na desarrumação da secretária. Desprezado, o pobre coitado, foi deixado ao abandono algures no ano de 2005...Deixei-me levar pela escrita, simples, corrida, sincera, perdida em alguma coisa que ainda hoje não sei muito bem definir. Li, reli e voltei a ler, tentei perceber, ou melhor, perceber-me então... Desisti.

Gostei do que li, revivi-me e principalmente discerni algumas coisas que na altura não via de forma clara...

Deixo aqui as interrogações finais às quais me coloquei na altura e ainda hoje me assistem:

"Quem melhor que o papel para nos ouvir? Quem melhor que as paredes para nos escutar? Quem melhor que a solidão para nos amar!?"
Afonso Sade 15/07/05

Partilho aqui, convosco, uma décima parte de aquilo que nunca imaginei partilhar.

21 comentários:

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

Bem, que coragem! Partilhares algo tão de dentro de ti...

Prefiro espalhar no vento o que muitas vezes escondida na minha solidão confesso ao papel...

Pode parecer estranho, até porque sou uma pessoa estranha, mas prefiro Ser a cada momento, e deixar bem lá no fundo de um Eu que ninguém conhece o que um dia Fui. Assim nunca ninguém há-de ver essa pessoa que só eu conheço e a quem sorrio quando nos cruzamos.

E sinceramente, este meu capricho egoísta faz-me bem: alimenta a minha liberdade.

Será que me fiz entender?... :s

@n@bel@ disse...

Devias juntar tudo e editar um livro.
E depois ganhavas o nobel da literatura e compravas mais um carro :D

Afonso Sade disse...

mas afinal o que estou eu aqui a fazer?...
Acho que é o problema de ter net em casa... à noite fico mais desinibido e acabo por escrever o que não devo...

Acho que todos devemos ser um pco egoístas nessa matéria. A minha partilha é mais uma espécie de desafio comigo mesmo... dá para entender?

Foste clara como... água cristalina!

;)

Afonso Sade disse...

@n@bel@:
Iria ser difícil juntar tudo, tenho muita coisa esquecida algures... para além de que a minha auto-estima sempre foi baixa e sou demasiado crítico com o que escrevo.

Mesmo que conseguindo enganar alguém para me editar o livro, o mais longe onde chegaria seria o manicómio.

;p

@n@bel@ disse...

Tens auto-estima baixa??!! Olha nunca se sabe onde chegarias, eu gosto do que escreves :D

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

Creio que sim... Parece-me que atrás dessa máscara estás tu próprio à tua procura.

Estarei longe da verdade?... :)

Cumprimentos

Afonso Sade disse...

@n@bel@, tenho e muito baixa. Escrevo para desabafar, e acho que ninguém tem de me estar a aturar :D

mas afinal... atrás da máscara estou eu e mais meia dúzia de "eus" mas não procuramos nada de especial, apenas somos o que somos.

Não estás mto longe, talvez um pco desviada...

;)

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

:) Possivelmente.... É que eu sou uma daquelas pessoas meias necas que acham que na verdade nunca sabemos muito bem o que procuramos!...

"Que coragem" outra vez! Admitiste a tua auto-estima baixa! Estou impressionada, caro Afonso!

:)

@n@bel@ disse...

Ler o que escreves não é estar a aturar mas sim a perceber o que sentes.

Afonso Sade disse...

A meu ver, e não falando na generalidade, as procuras variam a cada instante, pois apesar de mtas vezes sabermos o que procuramos, qdo encontramos essa coisa verificamos que não era bem aquilo... era algo um pco diferente...

A minha auto-estima baixa manifesta-se maioritariamente na escrita, pois até sou confiante, em geral!

;)

Afonso Sade disse...

@n@bel@, deixa-me discordar... que me digas que leres o que escrevo é tentares perceber o que sinto, concordo, mas daí até perceber ainda vai um pco. Acho que isso seja possível, mas dadas as vivências pessoais de cada... somos levados a interpretar as coisas segundo o nosso ponto de vista, que nem sempre é o mesmo que o de quem escreve, mas também esse exercício é bom!

;)

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

Tens razão. E ainda bem que as coisas são assim! Não fosse a insatisfação e o mundo já teria sido consumido pela estagnação!

Quanto à auto-estima, não fosse isto ser um lugar público chamava-te um nome que alguém que me conhece bem chamou um dia quando me ouviu em discursos do género! :p (que é como quem diz, «já percebi tudo, afinal o moço e eu temos o mesmo tipo de "problemas"»!) :)

Afonso Sade disse...

É tb uma "virtude" do ser humano ser insatisfeito por natureza. E é isso que nos faz viver, o nunca estarmos contentes, é isso que nos faz melhorar e aperfeiçoar.

Qual é o problema de isto ser público? Tens medo? Podes, se preferires (agora que me deixaste curioso em relação ao nome), usar o e-mail no perfil.

Não diria que temos o mesmo tipo de problemas, mas acredito que pensemos de formas semelhantes para situações semelhantes ;)

;)

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

Não, não é uma questão de medo, apenas de manter a privacidade no que respeita a coisas que são muito minhas que só partilho com quem quero. Por opção sou um ninguém neste espaço. ;)

Isto daria uma longa conversa mas para já fico-me por aqui. Espero que exponhas mais dos teus textos para perceber até que ponto pensamos, como dizes, de formas semelhantes para coisas semelhantes. :)

Afonso Sade disse...

OK, entendi mal a parte do público...

Acho que fazes mto bem partilhar o que é só teu com quem aches que merece, eu faço o mesmo, ainda não encontrei foi ninguém que mereça ;) lolol

Estes temas são propícios a longas conversas...

Qto aos meus textos... não vai ser fácil, pelo menos tão cedo... trabalho e estudos em simultâneo roubam-me a alma. Podes sempre clicar na etiqueta escrita e ver o que já me passou pela cabeça ;)

;)

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

Às vezes, se não estivermos atentos, deixamos ir no "lixo" as respostas para as questões que colocamos... ;)

Afonso Sade disse...

"É vero", e isso acontece com frequência, pois são na sua maioria respostas simples que nos esclarecem, e grande parte das vezes são essas mesmas respostas que desprezamos pela sua simplicidade!

;)

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

:) Parece-me que percebeste!

Afonso Sade disse...

;D

Naturezas disse...

Olá Afonso , vou comentar atrasada, mas mais vale tarde que nunca... Sempre gostei da tua forma de te expressares, não sei se a entendo em pleno, mas ao ler até textos de outras pessoas que admiras, sinto percebes, sinto à minha maneira mas sinto, e gosto. Quanto à auto-estima não acho que tenhas uma baixa auto-estima, se calhar és só humilde, mas quem sou eu para afirmar isso? Só te leio. Seja como for só te quero é bem , e que continues porque gosto verdadeiramente de te ler , e não sou a unica ;) , agora, quanto a publicar os teus escritos, tudo depende do mercado, e eu não sou de todo uma especialista, por isso e se é que vale de alguma coisa, pelo menos uma leitora assídua hás-de ter :)

Afonso Sade disse...

Naturezas, aqui todos os comentários chegam atempadamente, principalmente se forem assim generosos como os teus. ;)

Obrigado pela tua compreensão e principalmente por sentires as coisas à tua maneira, é esse o meu interesse, que não queiram entender o que "sinto", mas que se sintam o que quiserem.

Qto à parte da humildade... acho que não o sou suficientemente, a meu ver.

Nas publicações continuo céptico e reticente... Acho que não merece a pena, há por aí mtos e bons poetas que, esses sim, devem ser incentivados, por exemplo o menino do Ciências & Ideias. Dá lá um salto e vê a etiqueta da escrita dele, é deliciosa.

Não prometo mta escrita para breve... mas quem sabe, a inspiração é matreira!

;)