sábado, 19 de julho de 2008

A demência inconsciente...

A alma, enublada, acomoda-se
Estou assim deitado.
A clarividência esgota-se...
Surge o inesperado.

Nesta urgência de não viver
Mergulho, sem respeito,
Catapultado por uma alucinação
Que me persegue...

E seguindo o raciocínio,
Que outrora foi fascínio,
Vejo-me perdido em algo
Que só hoje consigo explicar.

Dimi

12 comentários:

Pearl disse...

Explicar o que não tem uma explicação explicavel aos outros talvez só a nós mesmos não é!!

beijinhos

...Ju... disse...

es mto complicado :P

*bjinho*

Afonso Sade disse...

pearl: Grande parte das vezes nem a nós mesmos... ;)

...ju...: Olha que não... ;)

;)

Naturezas disse...

Qual é a alucinação que te persegue ?

Afonso Sade disse...

naturezas: isso agora... era estar a levantar demasiado o véu.

;)

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

Eu achei piada foi ao "e seguindo o raciocínio".... Qual raciocínio???

LOL!

@n@bel@ disse...

http://www.museudapoesia.com/index_1280x1024.htm

Afonso Sade disse...

Mas afinal... lá estás tu... é preciso explicar-te tudo? ;p

@n@bel@: Danke, gostei mto desse cantinho, lêem-se por lá boas palavras

;)

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

Vá, deixa-me lá estar sossegada senão depois dizes que as pessoas ficam chocadas!

;)

Afonso Sade disse...

É melhor é, pelo menos se não quiseres ver um ortopedista em breve...

;p

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

Vá lá, não exponhas assim a tua agressividade! Olha que chocas as pessoas! LOL!

:p

Afonso Sade disse...

:| Achas?

;p