terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Como é bom o tempo que passa - Adolfo Luxúria Canibal

2 comentários:

L. Laranjo disse...

Onde foste desenterrar esta peça magistral?

Afonso Sade disse...

Estilhaços, é o nome do livro que também da nome ao CD de 7 faixas, mto bom mesmo. Se seguires o link para o imeem chegas às restantes.

Mas cuidado com a Braga meu Amor, é atrofiante!

Grad Abraço!

;)