segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

As Neves e o Camiño do Requesón...

Ontem o dia foi longo e noite demasiado curta. Desloquei-me ao Arrábida para ver o filme: The Assassination Of Jesse James
Que se diga de passagem é um filme normalíssimo, a banda sonora é muito fixe, mas se estiverem com sono... esqueçam! Bom para verem num Sábado à tarde na televisão.

Só consegui pôr os pés em casa à 1h30 da manhã, não sem antes ter quase andado à porrada por causa de um artista que se queria exibir enfrente da miúda. Chegado lá ainda tive de ultimar as coisas, pois no dia seguinte tinha de ir com o pessoal até As Neves, pequena localidade perto de Salvaterra, Espanha, ali mesmo do outro lado de Monção.

Nem acreditei quando às 5h o despertador tocou... parecia que tinha acabado de fechar os olhos... Mal sabia eu que o pior estava ainda por chegar.

O Raio d'As Neves deve ter o nome graças ao frio que lá se rapa, só de meter o nariz fora do carro quase fiquei sem ele, mas o pior era a chuva que andava a ameaçar... Bem o passeio nem tinha subidas técnicas nem muito inclinadas, mas o raio da lama bem nos esquentou os músculos.

O melhor do passeio foi mesmo a descida, assim que entrei na trialeira e depois de ser retardado por um individuo da organização, é que percebi do que eles estavam a falar... Era só lama, raízes, lama, pedras, lama, árvores, lama e mais lama. Estava a tremer de frio quando sai em direcção ao caminho, mas assim que comecei a descer nem me lembrava de que terra era, nunca me senti tão impotente... travar ou não travar era igual, as rodas fugiam como se o piso fosse de gelo. Imaginem-se encima de uma bike a rasgar pelo meio de caminhos feitos de manteiga, acho que dá para perceber.

A meio do percurso lembrei-me da célebre frase de Mario Andretti:
"If everything seems under control, you're not going fast enough" Sinceramente eu não me sentia a controlar NADA, eu pura e simplesmente mantinha o equilíbrio em cima da "Burra". Como é óbvio não evitei dois espalhos, pois havia alturas em que o caminho divergia e PUM! Ou então a roda de trás achava que devia passar para a frente... e cornos no chão!

Parecia uma criança num parque de diversões... Mas naqueles dois quilómetros de descida voltei a sentir-me vivo, nunca pensei que se pudesse tirar tanto partido da lama...Este era o estado à chegada, como é óbvio o primeiro banho foi junto com a bike e com a máquina de pressão da bomba, o que me obrigou a fazer nudismo em plena Bomba de Gasolina, mas a pior parte da lama saiu, apesar de ainda ter dado luta em casa.

8 comentários:

@n@bel@ disse...

Tás lindo tás...mas o importante é que te divertiste a fazê-lo :)

White Box disse...

Tás tdo catita, tás... ai BTT a quanto obrigas! :)
O filme é bom? Tenho q ver...
:)

Afonso Sade disse...

@n@bel@: E nem imaginas o qto! :D

white box: O filme vê-se, mas já vi melhores, por ex o The Proposition.

;)

formiguita bipolar disse...

Pelos vistos divertiste-te p'ra lá de muito... Agora já podes "morrer lentamente" algumas vezes, pois tens a bateria carregada!

:)

ric_c disse...

Pois Afonso...

Então não tinha subidas ??? Eu então se calhar enganei-me !
ehehehe

Subidas e que subidas, mas eu também sou fraquito nisto do btt; e o gelo lá em cima, com o granizo a bater na cara como agulhas ?

De qualquer maneira, muito fixe, mais um desafio alcançado.

Afonso Sade disse...

formiguita bipolar: Então estou safo, costumo carregar a bateria todas as semanas! ;)

ric_c: Eu não disse que não tinha subidas, apenas não eram técnicas nem de grande inclinação. Mas os primeiros 20kms foram 90% a subir no meio da lama, que não sei se não será pior. Realmente muito fx, sem dúvida um desafio alcançado!

;)

...Ju... disse...

tavas lindo pah! e essa parte do nudismo na Bomba de Gasolina deve ter sido gira... se tivesse o briol q ta hj tavas tramado :P

*bjinhos*

Afonso Sade disse...

No momento em que fico mesmo sem nada para um carro na bomba com uma cota lá dentro... estórias!

Estava um briol jeitosos, mas como tirei a roupa molhada fiquei com menos frio!

;)