segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Há fins-de-semana que são como paradoxos… Apesar de estarmos a curtir, ao mesmo tempo está tudo a sair ao contrário do que queríamos… Mas no final até saímos contentes com o mau resultado…

Sábado no Downtown em Braga, da parte da manhã, correu tudo lindamente tirando apenas duas escorregadelas nas duas curvas manhosas, tinha finalmente atinado com o WallRide e com a saída do último salto.

Mas durante o almoço veio a chuva… e com ela os azares. Arranquei para a primeira manga a abusar, na primeira curva saiu-me o pé do encaixe… já não estava a gostar. Quando cheguei ao WallRide a madeira estava demasiado molhada… escorregou-me a roda da frente e tive de desmontar. Fiz o resto da pista a passear…



Na segunda manga arranquei mais cauteloso, mas quando tentei a melhor trajectória para os troncos… o pneu e a pedra não se deram bem e fui ao tapete. Como se não bastasse saí do primeiro salto com velocidade a mais e a suspensão levantou mesmo antes do WallRide… voltei a desmontar e a desmotivar… Gostei da experiência, não estava à espera de fazer os tempos que fiz… mas sei que conseguia fazer melhor com uma bike de DownHill…



No Domingo e ainda meio amassado do Downtown, lá fui eu com os Prós, o Pedro e o Marco para Águeda, era tempo para os 80kms do Vale do Vouga.

Apesar do dilúvio que marcou presença e da lama que foi constante estava cheio de vontade de apreciar um dos melhores passeios de que já ouvi falar.

Arrancamos calmamente, mas passados cerca de 10kms, e graças à inexperiência dos patos bravos, fui obrigado a sair pela frente da Orbea. Empenei o dropout e com isto fiquei sem mudanças a trás… Desgastei-me nos 10kms que se seguiram pois só podia jogar com os três pratos da frente.

Chegados ao abastecimento e com ideias de desistir despedi-me do Pedro que seguiu viagem. Comi qualquer coisa e pus-me à procura dos mecânicos da organização… que não existiam… Telefonei a um mecânico amigo que me disse que podia puxar pelo dropout à vontade, pior não ficava. Depois de 5 ou 6 puxões lá o pus onde julga ser o sitio dele. Arranquei mas passado 2 kms na subida tive de parar para afinar o desviador. 45 Minutos para o lixo.

Como se não bastasse ainda parei mais duas vezes porque fiquei sem o travão de trás, ajudei três patos bravos com furos, pois estavam a olhar para os desmontas como um burro olha para um palácio e fiz cerca de 40 kms, nos quais estava uma descida por uma pista de Downhill, só com o travão da frente.

Resumindo foi uma maratona muito dura a nível climatérico, desgastante mas á qual cheguei ao fim mesmo com 1h15 de tempo perdido!

Para o ano lá estou outra vez!

3 comentários:

joaninha disse...

tu, a bike, as quedas e as avarias...

:P

L. Laranjo disse...

Viva o azar! VIVA.

Afonso Sade disse...

joaninha: Estou amaldiçoado, lol ;)
Podes crer mano!

Qdo entreguei a bike na loja o gajo chamou-me maluko.

Diz ele que sem travão de trás não seguia viagem!

;)