sexta-feira, 15 de dezembro de 2006

O masoquismo da Gastronomia!

Ontem enquanto passeava pelo hipermercado consegui ver que até na gastronomia há masoquistas...

Sou do tipo de pessoas que come para sobreviver, logo a gastronomia fascina-me tanto como o movimento ondulatório da erva daninha quando bafejada por uma vaca barrosã que pasta em Porbaixode Miandas!
Quero com isto dizer que não tenho o paladar apurado, logo qualquer comida que não tenha polvo ou lulas é capaz de me saciar! Tenho as minhas “preferidas” se é que lhe podemos chamar isso, mas passo bem sem elas!

Sendo assim, do meu ponto de vista, as especiarias picantes, amargas e azedas não passam de masoquismos gostativos a que as pessoas se sujeitam! Pode ser como o masoquismo “físico”, uma espécie de libertação, acredito, mas qual a piada de sentir a boca a arder? Qual é o interesse de ficar com um gosto amargo na língua?

Bem, não posso dizer que não tenho a minha cota parte de masoquismo, pois sofro por prazer quando me levo ao limite nos desportos que pratico... Mas sem esse esforço não há evolução, por isso acho-o um mal necessário. Agora na comida? Qual é a finalidade?

Gostaria que algum apreciador de gastronomia me iluminasse neste aspecto que acho um pouco perturbador!

Obrigado!

4 comentários:

Anónimo disse...

Devias viver em Leuven (nao sei se é assim no resto da Bélgica)! Estes tipos comem qualquer coisa (uma sandes ou uma comida mais ou menos fraca), só mesmo para se alimentarem, julgo eu, e depois voltam ao trabalho.

Guida disse...

Pois...olha com isso dos picantes sou obrigada a concordar! Qual o interesse de comer um bom prato se a única coisa q vais sentir é o ardor? Para mim as malaguetas, piri-piri e tabasco, foram inventados por maus cozinheiros, daqueles que as coisas saem tão mal que só o picante consegue enganar os comensais, que por pura gula/ignorancia se dizem satisfeitos...Na minha opinião estes não são os apreciadores de um bom prato. Na culinária tempero q.b.!Mas um bocadinho de picante de vez em quando não faz mal...se não for no prato ;)

Afonso Sade disse...

Se calahr tenho uma costela Belga e não sei!

Eu concordo com os picantes na comida, mas em percentagens pequenas de modo a não maltratar as papilas gostativas!

Vá lá que não sou o único!

Hip Hip Hurray!

BadSeed disse...

eu gosto de picante! Gosto! Mas também concordo que há determinados petiscos que para mim só podem ter começado por tortura mas como apareceu um gajo a gostar pronto e tal, vamos começar a comer que afinal não é assim tão mau! O marisco, meus amigos, só pode ser descrito com uma palavra: Blaaagghh!
Tenho dito!