terça-feira, 14 de novembro de 2006

Cruelty, virtue or vice?


Cruelty, very far from being a vice, is the first sentiment Nature injects in us all. The infant breaks his toy, bites his nurse's breast, strangles his canary long before he is able to reason; cruelty is stamped in animals, in whom, as I think I have said, Nature's laws are more emphatically to be read than in ourselves; cruelty exists amongst savages, so much nearer to Nature than civilized men are; absurd then to maintain cruelty is a consequence of depravity...
Cruelty is simply the energy in a man civilization has not yet altogether corrupted: therefore it is a virtue, not a vice.

Marquis de Sade, in "Dialogue the Third", Philosophy in the Bedroom, 1795.

3 comentários:

Anónimo disse...

Sempre achei este Marquês de Sade um bocado sádico (desculpa o pleonasmo).

Guida disse...

Tenho que dizer que discordo de tudo qt aqui está escrito!
A crueldade existe quando há consciencia do que é contrário a cruel...se sabes que devias ser bondoso e és exactamente o oposto, se sabes q devias ser caridoso e mesmo assim ñ és, se sabes que devias solidário e mesmo assim espezinhas! Na Natureza, assim como na infância, a crueldade não existe, existe um instinto de defesa, uma curiosidade, uma inexperiência ou apenas o desconhecimento!! Nas sociedades civilizadas é isso que distingue os aptos dos inaptos, os imputáveis dos inimputáveis...a inocência ou ignorância ñ devem ser confundidas com o prazer que um sádico consegue tirar do sofrimento e humilhação alheio.Espero sinceramente, para teu bem e nosso que convivemos contigo, que o que escreveste não seja de todo o q pensas sobre este assunto!!

Afonso Sade disse...

Há certas e determinadas coisas com que concordo, mas não faço minhas as palavras deste Senhor!

;)